Mais Popular

Cestas de PresenteCestas de Presente
18-04-2020 02:40:35Serviços
Trabalhamos com linda cesta de presente para todas as ocasioes , e coraçãoes per ...

 Comunidade Brasileira no Japão

 

A crise econômica ocorrida no Brasil entre 1980 à 1990 e a facilitação de vistos para brasileiros descendentes no Japão, possibilitou aos brasileiros a oportunidade de irem trabalhar no Japão, onde os salários eram maiores, proporcionando a muitas famílias, uma nova vida no país. Essa oportunidade incluía brasileiros e ascendentes japoneses conhecidos como “dekasséguis” (trabalhadores temporários, em japonês). O governo japonês adotou diversas medidas para buscar o bem-estar da comunidade brasileira, que optou por morar no arquipélago como garantia de que seus direitos sociais e trabalhistas fossem respeitados.

Na cidade de Hamamatsu, vivem em condições legais quase 10 mil brasileiros. Uma região constituída pelo planalto Mikatahara ao sul e com área montanhosa ao norte, faz fronteira com o lago Hamana a oeste, o rio Tenryū a leste e o oceano Pacífico a sul. Seu clima é úmido com pouca queda de neve. No entanto, devido à monção seca chamada "Enshū no Karakaze", a região tem uma característica de forte vento no período de inverno. Os brasileiros que residem na cidade de Hamamatsu, trabalham em fábricas como Honda, Suzuki e Yamaha, onde o trabalho é intermediado por empreiteiras. Mas, com a crise econômica mundial de 2008, resultou na demissão de muitos brasileiros, contribuindo para uma baixa bastante significativa de residentes brasileiros na região. Os tupiniquins que resolveram ficar e encarar a crise nesse período, enfrentaram problemas relacionados à educação, ao trabalho, ao idioma e as diferenças culturais. São problemas que chamaram a atenção do governo e de instituições sem fins lucrativos, para realização de trabalhos com o objetivo de melhorar a vida das comunidades estrangeiras.

No Japão, a vida sem saber o básico da linguagem japonesa é muito limitada. O uso do serviço requer a ajuda de alguém que conheça o idioma. O problema também limita as opções de emprego e amizades, porque se torna muito difícil interagir com os habitantes locais. O bom é que a comunidade que reside em Hamamatsu, tem um forte senso de "identidade brasileira" e interage sua cultura brasileira com os japoneses através do samba, pagode, música sertaneja e norte-americana, além dos carnavais, comida típica brasileira e  churrascos de confraternização. No setor de trabalho, existem muitas empresas voltadas para os brasileiros que vivem no Japão, incluindo redes de TV, portais em português, agências de publicidade, imobiliárias, agências de viagens, escolas, supermercados, restaurantes, bares, lojas de roupas e lojas de automóveis.

As limitações não impedem de brasileiros criarem raízes no Japão, se integrar à região e viver permanentemente. Embora as oportunidades de trabalho sejam muito atraentes no Japão, o alto custo de vida pode ser uma desvantagem ou empecilho.

     A legislação aprovada em dezembro de 2018, incluiu importantes mudanças referente aos trabalhadores estrangeiros. Embora a maioria dos brasileiros trabalhe em fábricas, as maiores oportunidades atualmente, estão na agricultura e na construção civil. O salário de um colhedor de frutas é aproximadamente de US$ 2.298. Segundo Martin Schultz, economista sênior do Tokyo Fujitsu Research Institute, o número de empregos na construção civil cresceram devido os Jogos Olímpicos de Tóquio. Entretanto, com o surgimento da Covid-19, o Japão enfrenta momentos críticos, onde o primeiro ministro Shinzo Abe declarou estado de emergência devido o alto número de mortes, que já atinge 11.500 casos confirmados com quase 300 mil mortes.

    Mesmo com essas turbulências ocorridas no mundo devido o Covid-19, o Japão tem atraído cada vez mais a atenção e o interesse de um grande número de pessoas em todo o mundo, inclusive do Brasil. Viver em um país desenvolvido, com alta tecnologia e boa estrutura social é o que atraem milhares de brasileiros para residir no país, seja pela qualidade de vida, ofertas de emprego ou pela excelente estrutura acadêmica, que é modelo seguido por instituições de muitos países.

    O Japão tem atrativos únicos — gastronomia peculiar, inovações tecnológicas, modo regrado de vida e que, certamente, vão contribuir para o desenvolvimento completo de quem deseja vivenciar uma experiência enriquecedora.

  O país é um dos países mais seguros do mundo, todos os serviços públicos funcionam perfeitamente, a economia é forte e o sistema educacional é rico e avançado, o que contribui para a qualidade de vida dos seus cidadãos. Os empregos ofertados oferecem rendas condizentes aos serviços ofertados.  

   Osaka é uma das três cidades mais populosas do Japão. Nesta cidade, as relações interpessoais são mais confortáveis e o dia a dia torna-se mais fácil e agradável. Mas, o número de brasileiros que residem na região é bem menor dos que moram em Hamamatsu, por exemplo.

   O Japão é uma região aberta a diversidades culturais e isso possibilitou agregar a cultura brasileira. No país existem lojas e restaurantes brasileiros, principalmente em locais onde há grande concentração de pessoas desta nacionalidade. Um dos restaurantes que oferecem comidas brasileiras e que cresceu no país é o Barbacoa Grill com rodízio de carnes com 15 cortes especiais, ainda inclui buffet de saladas, pratos brasileiros como feijoada, algumas frutas tropicais e sobremesas. Entre as bebidas disponíveis está a famosa caipirinha brasileira.

   No bairro Asakusa em Tóquio, existe uma churrascaria de nome “Que bom”, que oferece 4 variedades de carne como picanha, costela, coração e lingüiça, além de guarnições e buffet de saladas. Bebidas puramente brasileiras - cachaça, batidas de frutas, caipirinha e guaraná, além de música ao vivo brasileira. Cidades que possuem maior números de brasileiros é possível notar outros estabelecimentos brasileiros como lojas de roupas, supermercados, padarias, botecos com comidas típicas brasileiras e até bancos, como o Banco do Brasil.

   Existem outras cidades no Japão que é possível encontrar comunidades brasileiras que é o caso de cidades como Toyota, Toyohashi, Handa, Iwata, Echizen (Fukui), Nagahama (Shiga-ken), Iga, Suzuka, Yokkaichi, Ise, Minokamo, Ogaki, Oizumi e Yokohama.

   Viver em um dos países mais desenvolvidos do mundo, desfrutar de uma cultura forte e diversificada, aprender um novo idioma, estudar em universidades de qualidades é o sonho de muitos brasileiros. O que movem estrangeiros a tentar uma nova vida no Japão é o salário, que é satisfatório, não importando o tipo de serviço. Existe no país uma particularidade que não há em outros países, que seria no caso as condições trabalhistas, igualitárias tanto para os japoneses quanto à estrangeiros, independentemente, de serem efetivos ou não.

      Atualmente, estima-se que haja cerca de quase 300 mil brasileiros que deixaram o país para se dedicar ao trabalho industrial (na maioria dos casos) nas indústrias e empresas japonesas. Os brasileiros ocupam o terceiro lugar entre as etnias que compõem a população japonesa, atrás apenas de coreanos e chineses.

    Portanto, se você deseja trabalhar no Japão é necessário tirar um visto que permita a pessoa ficar temporariamente ou residir no país. Mas é importante deixar claro que, para conseguir tirar este visto, é necessário que o emprego em terras japonesas já esteja garantido, porque a empresa que vai "patrocinar" o seu visto será responsável pela emissão do "certificado de conformidade", que é um documento emitido pelo Departamento de Imigração do Japão comprovando que você pode emigrar para o país. Para trabalhar no Japão, você precisa ser qualificado, e uma das condições para a obtenção do certificado de qualificação é que o posto de trabalho faça parte da lista de ocupações qualificadas pré-determinadas pelos imigrantes japoneses. As empresas japonesas exigem profissionais altamente qualificados.

        Para maiores informações sobre vistos, confira nesta matéria, clicando aqui.

 

     A realização de intercâmbios ou cursos de pós-graduação também podem  ajudar ao estrangeiro a permanecer no Japão, pois, durante os seus estudos normalmente se estabelece uma rede de contatos, que facilita o ingresso à  grandes empresas no país. Este é um dos caminhos mais comuns e simples. Ao finalizar o curso (seja de graduação, pós, mestrado e doutorado), lhe dará chances de participar do processo seletivo de várias empresas até encontrar um emprego e firmar residência. Mas o fato é que o processo para um brasileiro não-descendente migrar para o Japão é mais difícil do que para um americano ou europeu, devido à política de emissão de vistos por parte do governo japonês, conforme elucidado nesta imagem:

 

   Se seu sonho é visitar, morar ou trabalhar no Japão, não desista, persista e você conseguirá!

      Veja também o nosso artigo sobre a Comunidade Japonesa no Brasil,